#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/

HIPERATIVOS:

#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/


30 setembro 2010

Maldito esfíncter

Desde muito cedo aprendeu a arte do controle. Aprendeu que podia manipular as coisas e as pessoas, podia exercer seu poder sobre elas. Aprendeu e gostou. Logo na 'fase anal' ele teve seus primeiros contatos com o poder, se divertia ao entender que podia 'prender' as fezes ou 'liberá-las' conforme sua vontade. Sua mãe se preocupava com a prisão de ventre do filho, enquanto ele se sentia o senhor do tempo, soberano, retendo as fezes até o momento que lhe fosse conveniente.

Hoje ele está crescido, adulto, e não mais retém as fezes, se divrte controlando outras coisas. Desde bem cedo já sabia a profissão que gostaria de seguir: ADMINISTRAÇÃO. Não era de se estranhar, tudo seu sempre foi extremamente organizado, metodicamente arrumado, dividido, separado, tudo no seu devido lugar.
Ele era muito perfeccionista também, só gostava das coisas perfeitas, tudo tinha que estar milimetricamente posicionado, e tudo sempre do SEU jeito. E ai de quem fizesse diferente do que ele dizia. Era briga na certa.

Com esse perfil não é difícil constatar que ele sempre foi uma pessoa de difícil relacionamento, costumava brigar muito com todo mundo, não podia ser contrariado, não mudava por causa dos outros. Mais difícil ainda era conviver com ele na mesma casa. Difícil não, impossível, pois mesmo diante de coisas pequenas como mudar a posição de uma cadeira ou alterar qualquer objeto por mais insignifiante que fosse já era motivo pra uma grande discussão, atritos sem fim.

Sendo assim ele tevfe poucos namoros, procurou muito até achar a mulher ideal, perfeita. Claro que ele era extremamente passiva, dependente e jamais poderia ter o ímpeto de questioná-lo. Essa seria a mulher perfeita pra ele, a quel ele pudesse controlar, manipular, fazer TUDO do seu jeito, como ele gostava. Casou-se com a tal "mulher perfeita", mas mesmo assim seu casamento não durou muito. Não foi motivo de surpresa pra ninguém, e o motivo da sepração foi somente um: sua mulher não o aguentou por muito tempo.

"Ele é muito controlador, obssessivo demais, perfeccionista, é muita paranóia, muita regra", ela dizia.


Não é culpa dele, é o maldito esfíncter anal, desde que aprendeu a controlá-lo nunca mais teve paz e sossego na vida. Desde então ele sentia a necessidade de manter o controle sobre tudo que estivesse ao seu alcance.

[Mente Hiperativa]

Fobia de arac

Não gostava de aranhas
Tinha medo
Pavor
Pânico
Aracnofobia

Primeira semana de tratamento:
Tomou chá de perna de aranha
Precisou de muita coragem

Segunda semana:
Observou fotos de aranhas na net
Com muito medo

Terceira semana:
Pegou em aranhas de brinquedo
E sentiu repúdio

Quarta semana:
Se aproximou de aranhas mortas
Com agonia

Quinta semana:
Ficou perto de aquários cheios de aranhas, vivas
E conseguiu

Na sexta semana
Tocou em Pheneutria nigriventer, Latrodectus curacaviensis e Loxosceles laeta
Nem acreditava, ria de si mesma

Na sétima semana
Bem, na sétima semana se sentia bem melhor
Foi pra casa e levou "Gigi"
Uma adorável filhote de Acanthoscurria geniculata

Depois do tratamento apaixonou-se pelas aranhas
Hoje, dois anos depois, cria centenas delas em seu apartamento
Ficou OBCECADA por aranhas

E agora como tratar sua fobia?
Sua 'fobia de arac'?
Como se livrar dessa obssessão?

[Mente Hiperativa]

29 setembro 2010

Esfinge

Teus olhos me enfeitiçam
Me encantam
Me seduzem

Eles me convidam

A te desbravar

Então me aproximo de ti
Mirando os teus olhos
Querendo te decifrar
Mas não adianta
Sempre perco!

Sempre sou engolido por ti

Devorado
Pelos teus lábios

Impiedosos

[Mente Hiperativa]

Por que morremos? (Parte II)


Conversava com meu avô, poço de sabedoria, falamos sobre a morte. Não quero me tornar mórbido, e nem poderia já que não faço apologia à morte, apenas penso nela como sendo uma etapa da vida, uma etapa inevitável. Faço apologia sim à vida, sempre.

Então perguntei a Vovô porque as pessoas morrem. E ele começou...

"Meu filho, a natureza é sábia, tudo nesse mundo tem uma função, o homem vem à Terra pra acrescentar conhecimento, fazer o todo evoluir. Mas tudo tem um limite, e quando o homem pensa que está conseguindo o que quer a natureza vem e mexe daqui, mexe dali, confunde tudo. O homem começou a clonar animais e logo pensou que faria o mesmo com os humanos. Mas a natureza não deixou.

Ele continuou - Então porque o homem morre? Já pensou se Einstein estivesse vivo até hoje? Certamente teria descoberto a "escada que dá no céu". Por isso o homem morre, pra não conhecer tudo, pra não descobrir todos os segredos da natureza.

Quantas pragas surgiram para controlar a população? Peste negra, gripe espanhola... E tantas outras. O homem sempre encontra a cura delas, é verdade. Mas a natureza se encarrega de criar novas pragas, a AIDS é a praga da vez, quando descobrirem a cura surgirá outra.

A morte serve pra mostrar ao homem que ele nunca saberá tudo, nunca atingirá o conhecimento de Deus. A morte pode frustrar cientistas e inventores, mas ela é necessária, extremamente necessária."

[Mente Hiperativa]

28 setembro 2010

PIOR QUE TÁ ainda FICA

Ontem eu estava indo pra faculdade e como de costume ouvia rádio e escuto a seguinte notícia:
"Tiririca -que segundo rumores é analfabeto- seria eleito o deputado mais votado do país, com cerca de 900mil votos, caso as eleições fossem hoje."
Na mesma hora eu pensei: ONDE ESSE POVO TÁ COM A CABEÇA??? É desespero? É revolta? É protesto? É o que?

Ok, eu sei que nossos candidatos, muitos deles, não são exemplos de honestidade, mas qual o tipo de preparo que uma pessoa como Tiririca tem pra governar? Vamos cair na real, ele não é bom nem no humor... É notícia pra acabar com o dia de qualquer um.


Link:

http://www.band.com.br/jornalismo/eleicoes2010/conteudo.asp?ID=100000347842

[Mente Hiperativa]

Ela não acredita no amor

Ela não acreditava no amor. Teve apenas um namorado, casou-se cedo com ele, sempre foi fiel, mesmo quando descobriu que era traida. Ela não tinha culpa, ela não sabia retribuir tal 'gentileza', foi sua criação, aprendeu que era assim que as mulheres deveriam ser. Tinha caráter, até demais.

A primeira traição do marido ela descobriu por acaso, brigaram e logo ela o perdoou. Depois veio outra. E outraS. Teria sido melhor se ela não tivesse descoberto, ou pelo menos se tivesse fingido que não sabia, pois hoje as traições do seu marido são descaradas. Ele não faz mais questão de esconde-las.


Por isso ela não acredita no amor, e não há quem a convença de que ele existe. Seu casamento se mantém por conveniência, tradição, medo do que vão falar ou por qualquer outro movtivo banal. Ela nem procura motivos, apenas se cala no casamento, não pode nem usar os filhos como motivo pra se manter casada, já estão os dois bem crescidinhos e logo sairão de casa pra viverem suas vidas.
Quando pergunto a ela:

"- Então porque não se separa, já que o casamento vai tão mal?"

Ela se levanta, me encara e diz com firmeza:

"- Separar??? Agora que aguentei ele por 25 anos? Agora, separar, pra ele gastar dinheiro com as mulheres por aí? Gastar o nosso dinheiro, que eu ajudei a juntar e construir? Separar e arrumar outro homem IGUAL? NÃO, agora ELE vai ter que me aguentar."


E assim ela vive, desacreditada do amor. Talvez tenha medo da solidão, por isso não se separa. Talvez tenha se 'acostumado' com essa vida. Ou talvez tenha sido educada pra isso, pra casar e ser fiel ao marido até que a morte os separe. Antigamente era assim.

[Mente Hiperativa]

Mc fish

Sua mãe era a segunda coisa que mais amava na vida
A primeira era o mc fish
Da mc Donald's
Hum...
Realmente
Aquele molho tártaro era irresistível
Eu disse
I-RRE-SIS-TÍ-VEL
ops, foi mal:
IR-RE-SIS-TÍ-VEL
É que eu matei essa aula de português
(Killer)
Além do mais
A carne da sua mãe não era
NEM DE LONGE
Tão macia quanto a do mc fish
Aquele filé de peixe...
Hum...
Delícia demais
E ainda era carne branca
Mais saudável, né


[Mente Hiperativa]

27 setembro 2010

Ele foge

Todos o admiravam, diziam que ele sim sabia viver. Ele era desapegado, adaptava-se a todos os lugares e situações. Mudava, camuflava, como um camaleão. Conversava com todo mundo, fazia muitos amigos onde quer que passasse.

Nunca casou, teve muitas mulheres, muitos casos, alguns filhos. Arrependeu-se dos três filhos que teve, cada um de uma mulher diferente. Arrependeu-se por que achava (e dizia) que 'homem feito ele não deveria ter filho'. Ele mesmo considerava do mundo, e parecia gostar de pertencer a ele.

Onde chegava fazia amizade, desinibido, era o primeiro a puxar um papo, gostava de falar com todo mundo. Mas poucos notavam o quão eram superficiais as suas conversas, ele falava de tudo, menos dele mesmo. Falava sobre futebol, novela, política, mas não sobre sua vida, jamais sobre seus sentimentos. Quando o assunto ficava mais íntimo, quando invadiam o limite que ELE impunha, então era hora de pular fora, ele dava uma desculpa e ia conversar com outra pessoa, de novo os mesmos assuntos, futebol, novela, política...

Assim ele fugia.

Mas Todos o admiravam, diziam que ele sim sabia viver. Ele era desapegado, adaptava-se a todos os lugares e situações. Mudava, camuflava, como um camaleão. Conversava com todo mundo, fazia muitos amigos onde quer que passasse.

O que pouquíssima gente percebia é que ele fugia. Fugia da intimidade, do relacionamento, do apego. Ele tinha medo de expor os sentimentos, medo de se machucar com as pessoas, medo de sofrer, por isso vivia assim, fugindo de todos.

[Mente Hiperativa]

Eu nu

Eu nu
Eu no quarto
Eu nu quarto
Eu nu no quarto
Eu nu
Eu-nudez
Eu no dez
Eu nu dez

[Mente Hiperativa]

26 setembro 2010

Gula

Almoçei quase agora
Mas ainda estou com fome
Como um sanduíche?
Ou uma fatia de bolo?
Ou os dois?
Com um milk shake?
...
Um sanduíche
E uma fatia de bolo
Por favor
Ah, e um milk shake também
Obrigado

[Mente Hiperativa]

Por que morremos? (Parte I)

Somos mortais! Isso não é novidade alguma, a menos que você seja Matusalém, um vampiro ou algum dos membros da Associação Brasileira de letras... (E se for por favor deixe um comentário, ficarei honrado).

Hoje eu me perguntei porque as pessoas morrem. Você já se fez essa pergunta? Porque temos que partir?

Bem, existem várias teorias: falta de comida, superpopulação mundial, evolução pessoal, cumprimento de uma missão... Eu tenho a minha teoria, e explico logo a seguir:

Se por acaso você tivesse a certeza de que é imortal, o que faria logo em seguida? Provavelmente NADA, ou no máximo ia à praia, sair com os amigos, dormir, enfim, faria qualquer coisa que divertisse e relaxasse.

Por isso minha teoria diz que as pessoas precisam da certeza da morte pra poderem viver. Isso mesmo, ou você já ouviu falar que os deuses do olímpio e os anjos do céu fazem faculdade, trabalham ou planejam o futuro? Não! Eles passam o dia se deliciando com uvas e cálices de vinho tinto, descansando sobre as nuvens macias. Eles são Imortais, não precisam se preocupar com banalidades como por exemplo 'o futuro'. Eles não têm calendário, relógio ou datas. Isso é coisa pra nós, pobres mortais.

Quem precisa de garra pra trabalhar, enfrentar dificuldades, resolver problemas se a vida vai durar pra sempre?
Se fôssemos eternos qual seria o sentido de casar, ter filhos, fazer faculdade?

Tudo ficaria pra depois, e depois. Um depois que nunca ia chegar. Então a menos que você seja um anjo ou um deus grego, a sua realidade é bem diferente disso, você (igual a mim) nasceu com um contador regressivo, precisa correr, lutar, VIVER, antes que o relógio pare.

A certeza da morte é que nos dá a vontade de viver. Pode parecer contraditório à primeira lida, mas faz todo sentido. Só vivemos porque sabemos que vamos morrer, senão nada disso faria sentido; a própria vida não teria sentido.


[Mente Hiperativa]

25 setembro 2010

O segredo de Joana

Joana não gostava do natal, sempre sumia nessa data. Também não costumava participar das reuniões dominicais, aquelas que a família se junta e fica conversando diante de uma mesa farta e dos gritos e peripécias da criançada.

Criançada, ela não era de brigar com elas, não, mas parecia não gostar muito de crianças, evitava sempre ir a circos, escolas, parques e até clubes, qualquer lugar que estivesse lotados de crianças. Dizia sempre que o seu barulho a incomodava, a bagunça também.

Na verdade ela nem parecia TÃO incomodada assim, não parecia odiar as crianças, mas era o que ela falava.

Joana tinha 33 anos, muito bem casada, ela e o marido se amavam, tinha uma carreira profissional sólida e um emprego seguro. A vida parecia perfeita e exemplar, a não ser pelo fato deles terem decidido por não ter filhos; na verdade essa decisão partiu dela e ele acabou por aceitá-la diante da posição irremediável da esposa que tanto amava. Por causa dela ele abriu mão do sonho de ter um filho.

Quando as pessoas perguntavam a ela quando deixaria de besteira e engravidaria de um lindo bebê ela desconversava, saia discretamente de perto deles e ia pra algum lugar ficar sozinha. Na solidão ela chorava, sofria, calada. Ela se sentia murcha, oca, vazia, inútil. Ela não sabia como dizer, mas não podia ter filhos, era infértil. Ela sentia que não podia revelar esse segredo pra ninguém, jamais. Por isso ela não compartilhava seu sofrimento com ninguém.

Desde que descobriu que jamais poderia ter filhos -algum tempo depois de se casar- o mundo lhe pareceu dividido entre "os férteis" (felizes e realizados) e "os inférteis" (infelizes e frustrados). Acho desnecessário comentar como ela se sentia no dia das mães.

Além de todo sofrimento por causa de si mesma, sua frustração, seu desejo impossível de gerar uma criança no seu ventre, Joana ainda se culpava todos os dias pelo seu útero ter cruzado o caminho do marido. Ela não suportava a idéia de que sufocou o sonho dele que era ter um filho.

Por isso Joana não gostava do natal, nem das crianças, nem parques ou clubes. Ela fugia de tudo que lhe lembrasse da sua INfertilidade. Joana sofria calada, e ninguém sabia disso.

[Mente Hiperativa]

Juventude

No ônibus lotado
Se você cede seu lugar:
'Quer sentar, senhora?'
ela responde, ríspida:
'NÃO. Tá me chamando de velha é?!'

Se você não cede seu lugar:
'Esses jovens...
Não tem respeito pelos mais velhos'
Quem entende?

[Mente Hiperativa]

24 setembro 2010

Meu coração

"O meu coração é um
Músculo involuntário
E ele pulsa por você"

Marisa Monte - Trecho da composição "Você vai estar na minha"

[Mente Hiperativa]

Seu coração

Um dia vou roubar seu coração

.
.
.

E ele vai ser somente meu!

[Mente Hiperativa]

Peito caído

Ela foi ao shopping levar seu zigoto pra passear
Colado no endométrio
Um filho que não tinha sequer 'tripas' Nem mesmo um urubu ia querer comê-lo ainda
Não tinha o tamanho de uma vagem Mendeliana
O zigoto
Heterozigoto
Homozigoto
Aa, aa, AA
F1, F2
Dominante ou recessivo?
Ele não pesava mais que uma ervilha
Nem tinha 'tripas'
Mas tinha amor de mãe
E chupetas
E roupas, brinquedos
E carrinhos, berço, quarto, cômoda, cds, filmes infantis, bonés, bola, sapatos...
Tudo em dobro
Pais separados
Já???
Já!!!!!!
Mundo moderno é assim mesmo
E o zigoto já tinha NAM
NAM
Leite NAM
Não ia mamar no peito de mamãe
Mamãe não quer
Peito caído mamãe não quer
Zigoto com 'vento caído' pode
Imunidade baixa pode
Obesidade pode
Alergia pode
Peito caído não
Prisão de ventre pode
Zigoto chorão pode
Peito caído não
Mamãe não quer ter peito caído
Zigoto não vai mamar
Vai tomar NAM
Mamãe não é índia
É mulher moderna
Trabalha
Não tem tempo pra amamentar
Zigoto sem tripa fica frágil
Doente
Ah, depois mamãe leva no médico
Zigoto sofre a vida toda
Mas mamãe fica com o peito durinho
'No lugar'
Então mamãe continua no shopping
Passeano
Comprando
Comprando
Comprando
Com o zigoto pregado no útero
Ela vai na farmácia
Compra 5 latas de NAM
Mamãe adora NAM
É prático
E não deixa o peito caído

[Mente Hiperativa]

23 setembro 2010

A inquisição das células-tronco

Você é contra ou a favor da terapia com células-tronco?

.
.
.

Você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com a inquisição. Daqui a pouco explico.

Durante a Idade média alguns homens resolveram contrariar a igreja, disseram que as doenças não eram causadas pelo diabo ou castigo divino, muitos desses indivíduos usaram remédios (rotulados de poções mágicas) e tentaram intervenções cirúrgicas para minimizar algumas dores e sofrimentos. Claro que as 'intervenções cirúrgicas' da idade média não eram como as de hoje, naquele tempo não havia sequer técnica de sutura, as feridas eram deixadas abertas para cicatrizarem à própria sorte. O resultado é ÓBVIO, a maioria das pessoas morriam após o primitivo ato cirúrgico. Provavelmente de infecção, mas ninguém sabia o que era infecção, nem tinham conhecimento sobre microorganismos ainda.

Enfim, muitas pessoas, revolucionárias, ousadas, tentavam salvar vidas naquela época, desafiavam os donos da verdade e propuseram uma segunda forma de pensar a origem e o tratamento das doenças. Parece bonito, mas a maioria deles acabaram morrendo queimados na fogueira, eram chamados de bruxos, feitiçeiros; a igreja não tolerava qualquer tipo de subversão, não aceitava qualquer indício de revolução que não partisse de suas próprias mãos.

O que isso tudo tem a ver com a pergunta que fiz no começo, sobre células-tronco?
Chegou a hora de entender.

O que quero dizer é que todo pioneiro é mal visto, todo revolucionário é olhado com desconfiança, e toda revolução aceita com certa dose de dúvida. O novo é polêmico, e sempre hesitamos em aceitá-lo, em incorporá-lo ao nosso cotidiano, temos medo do novo.

Quando inventaram o bisturi elétrico quem era doido de se submeter a ele? Quem se imaginava sendo cortado por uma faquinha na qual passava energia elétrica? Na minha carne? Eu mesmo não ia querer, teria medo de ser eletrocutado ou queimado, sei lá. Mas hoje em dia é algo COTIDIANO, nenhum médico lhe pergunta se você quer que use ou não o bisturi elétrico, simplesmente está subentendido de que essa é a melhor técnica. E pronto.

Voltando às células-tronco, você acha que atualmente essa é uma questão bem resolvida e plenamente aceitável? Claro que não. A cura através de células totipotentes ainda é polêmica, equivale às práticas cirúrgicas ousadas da idade medieval. E as pessoas que anunciam tais procedimentos são tidas como bruxos, em pleno século XXI.

Eu dou minha força e apoio a esses revolucionários, um dia seu valor será reconhecido. E sua técnica será cotidiana. Um dia muitas vidas serão salvas graças a ousadia e persistência daqueles que não se renderam ao medo de cair na fogueira, lutaram até o fim pelos seus ideais, pela vontade de mudar e fazer a diferença.

[Mente Hiperativa]

-Ites

Tinha muitas -ites!
Sinusite
Tendinite
Pericardite
Estomatite
Otite
Laringite
Mastite
Pleurite
Neurite
Conjuntivite
Esofagite
Artrite
Bronquite
Tinha muitas -ites?
Ou tinha uma só?
'Hipocondrite'?

[Mente Hiperativa]

22 setembro 2010

Sem açúcar / No sugar

O bebê não queria mamar
O que ele tem?
Ele no sugar
É diet? É light?
É sem açúcar
'No sugar'
Suga bebêêê!!!
Suga o leitinho da mamãe
Mas ele 'no sugar'
Será fastio?
Será anorexia?
Medo de engordar, bebê?
É sin azúcar?
¿Hablas Español?

[Mente Hiperativa]

Sem assunto


Hoje eu tentava me concentrar pra escrever alguma coisa interessante. Pshh sai dai passarinho... Um passarinho pousou na minha janela. Gosto quando eles pousam assim pertinho, espanto eles. Rsrsrs Uma amiga certz vez disse que eu era traiçoeiro por isso. Mas ninguém jamais me chamou de traiçoeiro. Nunca trai ninguém não.

Sim, mas voltando, eu tava tentando me concentrar pra escrever, pensei em escrever sobre amor, paixão, mas não vinha nada útil. Só amores passados, também deve ser porque não tenho nenhum amor atual. Ou tenho, vários amores. PSEUDO-amores. Às vezes me apaixono, mas quando conheço a pessoa me desapaixono. Rápido assim, como o tempo que você leu essa frase.

Então eu estava no PC escrevendo, que não é PC, é Notebook... PC é de mesa. Né? Enfim, deixa eu ver quem tá tocando a campainha aqui em casa. Já volto a escrever.



Era o porteiro pra entregar contas. Só chega contas aqui em casa. Ninguém manda um cartão de natal. É... não é tempo de natal. Mas também se fosse ninguém ia mandar do mesmo jeito. Ninguém manda cartão hoje em dia, tudo é online, digital. Por que eu cheguei nesse assunto? Eu hein...

Depois de receber as contas tô aqui querendo escrever algo útil. Como vou saber que o texto é útil? Sei lá... Eu escrevo e vocês dão uma utilidade. Ou então pensam alto 'Que texto lixo, perdi meu tempo lendo isso'. Acontece às vezes. Eu nem sou escritor, nem jornalista, nem poeta, nem nada. Só um aspirante a... A... Aspirante a blogueiro!

Disturbia... Tocou agora na rádio da vizinha, eu ouvi, Disturbia, de Rihanna. Disturbia é paranóia em inglês. Então pesquiso no Google:

(Bum bum be-dum bum bum be-dum bum)
O que há de errado comigo?
(Bum bum be-dum bum bum be-dum bum)
Por que me sinto assim?
(Bum bum be-dum bum bum be-dum bum)
Estou enlouquecendo agora
(Bum bum be-dum bum bum be-dum bum)

Beleza Rihanna, chegou no blog certo, puxa uma cadeira e senta aqui, debate conosco tua locura.
Hoje eu tô sem inspiração mesmo... Até a música do rádio da vizinha eu aproveitei por que não tenho do que falar. Essa vizinha... Chega tira o fôlego. Será que ela não queria ser minha musa inspiradora? Hein?

Tô pensando aqui... tem um monte de louça pra lavar. A diarista não veio hoje e sobrou pra mim. 'A diarista', fica tão impessoal chamá-la assim. Além do mais lembra aquele seriado da globo. Eurídice, esse é o nome dela. Eu-rídice. Ela não gosta do nome dela, diz que é feio, aí ela usa um apelido feio que eu nem vou dizer.

Eurídice é nome mitológico? Nem sei.., Mas me parece. Isso me lembrou que tenho um livro massa de mitologia pra ler. Mas preciso acabar de ler o que estou lendo sobre pessoas que sofrem. eu sempre faço isso, compro vários livros e faço uma fila imaginária, coloco-os em ordem pra ler um por um. Eu gosto de ler.

'Hoje é domingo pé de cachimbo...
O cachimbo é de barro, bate no jarro.
O jarro é de ouro, bate no touro.
O touro é valente, bate na gente.
A gente e fraco, cai no buraco.
O buraco é fundo, acabou-se o mundo.'

Já pensou? O mundo acabar só por causa de um cachimbo de barro?
Quem terá sido o doido que inventou isso?

Talvez ele quisesse se matar, mas sem coragem criou um cachimbo que o mataria. A ele e a todo mundo. Sei lá. Ok, vou nessa porque já falei muita besteira. Queria me concentrar pra escrever alguma coisa útil, mas hoje não deu. Hoje é domingo, dia 12 de Setembro, mas provavelmente você vai estar lendo isso no dia 19 de Setembro.

Coincidência, também é domingo! Mas não foi de propósito não, é que já tem textos programados pra os dias 13, 14, 15, 16, 17 e 18. Dois por dia. Aí esse sobrou pra o dia 19 mesmo. Eu ia dizer pra lerem todos os textos, os dois por dia, até o dia 19. Mas não vai adiantar né, porque quando lerem esse já é dia 19.... =D

[Mente Hiperativa]

Boca de mel

- Amor, você tem uma boca tão linda. Toda vez eu penso que se eu morder vai sair mel dela.

- Pode até não sair mel, mas com certeza sempre vai sair doces palavras pra você.
[Mente Hiperativa]

21 setembro 2010

O que vocês acham?


Estou com um problema...

No começo eu escrevia muitos textos de uma vez, depois passava dias sem atualizar, uma espécie de "bulimia verborrágica" (Não, isso não existe, acabei de inventar mesmo).

Depois eu aprendi que poderia PROGRAMAR os textos para serem publicados automaticamente, e é isso que eu faço, deixo-os prontinhos aguardando o dia raiar, são sempre publicados dois a dois logo de manhã cedo. Procuro expor apenas dois textos por dia, pois algumas pessoas me disseram que fica difícil acompanhar meu ritmo quando este se encontra muito acelerado.
Até aí tudo bem, MAS nesse exato momento eu estou com muitos textos a serem publicados -mais de 20- todos programados pra os próximos 12 ou 13 dias. E outros "estão vindo", eles não páram e nem querem saber de nada. Então sendo assim o que vocês acham de eu colocar mais de dois textos por dia? Três ou quatro, sei lá...

Dá pra acompanhar?


OPINEM, por favor: SIM ou NÃO?
[Mente Hiperativa]

Seio Materno


Mamava no seio materno
Nutrindo-se de proteína

Lactose

Vitaminas

Minerais

Água

Gordura

Mamava

E tinha doces sonhos

Psicodélicos

E também caleidoscópicos

Surreais

Inintendíveis
IgA
Lactoferrina
Lisozima

Macrófagos

Fator bífido

Fechava os olhos

Sentia isso tudo derramando

Em sua boca

Sentia satisfação

Tudo caía no estômago

Renina

Digeria

Virava fezes

Moles

Fedorentas

Acabava tudo na fralda
Depois no lixo

E por fim no esgoto

Todos os sonhos

Psicodélicos e caleidoscópicos

No esgoto

O seio materno inteiramente digerido

[Mente Hiperativa]

Jogando com pessoas

Ele tinha o dom de dissecar as pessoas. Numa primeira conversa, de vinte ou trinta minutos, ele conseguia colher informações necessárias para fazer a pessoa sentir-se no céu, ou padecer no inferno. Rapidamente ele aprendia como alisar o ego de cada pessoa, ou alfinetá-la bem no seu calcanhar de Aquiles.

E assim ele jogava com as pessoas, como num jogo de xadrez, em que se planeja as próximas jogadas com cautela, pensando em todas as possíveis movimentações do adversário.

E ai de quem lhe colocasse em xeque. Ele sabe, desde a primeira jogada, exatamente o que precisa fazer pra decepar a cabeça do Rei.

[Mente Hiperativa]

20 setembro 2010

Passional

O H omem trabalhava
A m ulher cuidava de casa
O H omem se divertia
A m ulher se preocupava
O H omem era feliz

A m ulher angustiada

O H omem traiu
A M ulher sofreu

O h omem morreu
A M ulher que o matou

[Mente Hiperativa]

Você sabe viver?

É preciso mais, devemos desejar mais, fazer mais... sair do mundo das idéias...

Não podemos ter na vida apenas obrigações...estudar, trabalhar, pagar contas...responder as expectativas sociais: casar, ter filhos...Que sacooooo tanta exigência!

Precisamos de diversão, do ômega 3 natural, do riso fácil...

Se você pega trânsito, chuva, para ir trabalhar, pq não faz o mesmo para ir se divertir?

Que tal ter mais tempo para o banho de mar, o "pegar jacaré", o pé na areia? Olhar o céu de cima da montanha, sentir de perto o cheiro das flores...ver as borboletas, tomar um sorvete...andar de bicicleta, visitar um amigo...fazer o que gosta!

Tenho certeza que a dor nas costas, a enxaqueca, o cansaço passará se você ocupar melhor o seu tempo, com coisas que realmente ecoam em sua alma...aquecem o coração!

Que tal levantar deste sofá, desligar a tv e liberar sua endorfina, buscar o prazer...tenho certeza que a vida ficará mais fácil de se viver se conseguir transitar entre a obrigação e a diversão.

Pense bem, não é tão difícil assim, é? O que vc tem feito pelo seu bem estar?


Fica a dica, planeje algo legal pro seu próximo final de semana!

-----------------------------------------------------------
Copiei daqui:
-----------------------------------------------------------


[Mente Hiperativa]

19 setembro 2010

Psicóticos, eles sofrem

Esse texto é uma continuação/explicação/interpretação do texto http://mente-hiperativa.blogspot.com/2010/09/psicose-perda-de-contato-com-realidade.html

Eu li um livro sobre o sofrimento, sobre pessoas rotuladas como problemáticas mas que na verdade, no seu íntimo, SOFREM. Na maioria das vezes elas não sabem como lidar com esse sofrimento e então entram em choque e conflito com todos que lhe cercam, recebem por isso o estigma de pessoas difíceis.

Não pense que isso é uma realidade distante, encontrada apenas em clínicas psiquiátricas, não, todo mundo tem pelo menos um 'problemático' na família, alguns amigos, pode ser até eu ou você. Muita gente tem uma 'fase problemática' na vida, eu diria que todos nós temos. Isso é mais comum do que podemos pensar, trata-se de pessoas depressivas, apegadas, traumatizadas, pervertidas, inférteis, sistemáticas, fracassadas, hipocondríacas, limitas, fanáticas e outras.

O livro todo foi ótimo, mas nesse texto eu vou focar em uma seção que foi bem esclarecedora, sobre os psicóticos. Não sei se vocês sabem, mas os psicóticos têm episódios de alucinação e perda de contato com a realidade, a ponto de não saberem se estão aqui lendo um blog ou se tudo não passa de uma ilusão. Não sei se é sempre assim, o tempo todo, mas quando estão confusos eles se comportam de uma forma peculiar e bastante estranha pra nós que somos "normais" (ou não-psicóticos). Eles têm o hábito de se mutilar.

Eu sempre achei que eles faziam isso pra chamar a nossa atenção, sim porque isso chama a atenção, cortar os pulsos, cortar-se, ferir-se. Mas o livro me esclareceu tudo, eles não querem chamar a atenção, querem apenas se certificar de que estão "na realidade" e não se trata de mais uma alucinação de sua cabeça.

Então você pode me dizer que é loucura cortar-se pra sentir-se real, e eu te pergunto: você nunca pediu pra alguém te beliscar pra você ter certeza de que não estava sonhando e que aquela situação era real? Aposto que já fez isso sim.

Pois bem, resguardando as proporções é a mesma coisa que o psicótico faz. Ele precisa sentir a dor pra ter certeza de que aquilo é real. Então peço a você, caso tenha algum familiar, amigo ou conhecido "problemático", que costuma se cortar e ver seu próprio sangue jorrando, não julgue-o, não ache que é bobagem pra chamar a atenção ou fazer confusão. Ele pode estar sofrendo.

[Mente Hiperativa]

1 Ano de Mente Hiperativa

Hoje fazemos um ano de blog. Fazemos. Não, eu não tenho múltipla personalidade, eu me refiro a mim e aos seguidores, leitores, amantes e visitantes... Teoricamente eu faço o blog sozinho, pelo menos Escrevo sozinho, mas de fato vocês é que me ajudam a produzir, me motivam, me fazem pensar, me questionar e assim escrever.

O parabéns é nosso, e cada um recebe uma fatia do bolo. Vamos relembrar a primeira postagem?


Pra mim parece que foi ontem... Naquele dia, de repente, eu pensei 'Eu poderia criar um blog' e logo mudei para 'Eu VOU fazer um blog pra mim'. Em poucas horas eu já era um blogueiro. Sou assim, decido as coisas rapidamente, no impulso. Mas como pode se ver me dedico ao que faço, não sou daqueles que na mesma velocidade que começam também terminam. Não sou assim, só entro numa jogada se for pra levar a sério. E levo.

Aqui estou, um ano, fazendo um balanço. Cresci muito, aprendi bastante, li e escrevi como talvez nunca tivesse feito antes na vida. No começo eu era muito inseguro pra escrever, receoso em colocar pra fora meus pensamentos e sentimentos, amadureci, hoje tudo sai naturalmente, é tão fácil quanto respirar. Não mais tenho medo de dizer o que se passa aqui dentro. Também não tenho mais dúvidas de como fazê-lo.

Parando pra analisar eu percebo como o simples fato de criar um blog me ajudou na vida, ajudou-me a organizar melhor as idéias, a argumentar meus pontos de vista, a me questionar sobre o mundo que me cerca, e é claro me ajudou sobremaneira a escrever.

Estou me conhecendo, enfim, se você quer se conhecer faça um blog também (e me convide para conhecê-lo) e participe, leia, pense, comente, se questione. E vamos lá, juntos, rumo ao segundo ano. E terceiro. E quarto, e quinto, e sexto, e sétimo...

[Mente Hiperativa]

Maria Cachalote

Maria Cachalote é atriz, modelo, cantora, apresentadora de tv
e é feia pra caralho.

É feia que dói.
É derformada; de tão disforme, é difícil dizer que Maria Cachalote seja uma pessoa, e não um bolo de carne que respira.
Mas tudo bem, seus fãs não se importam, nem a mídia, nem os fotógrafos.

Por que é assim mesmo.
É assim que as coisas são.

Não importa que ela seja feia e deformada, o que importa é o seu talento.
As pessoas não se importam com a beleza física de um artista - nem com seu cheiro; Maria Cachalote fede bastante, feito um cadáver apodrecido, só que ninguém nota pelas fotos e vídeos.
Mas mesmo que pudessem sentir esse cheiro, seus fãs iriam continuar gostando dela, pois só seu talento importa.

Seus fãs também não se importam que Maria dê vexames, defeque e vomite em público, distribua crack para crianças nas ruas, e faça apologia à bomba atômica brasileira.
Eles só querem saber de seu incrível talento.

Maria Cachalote é uma artista modelo.


Por
Rafael Sperling

------------------------------------------------
Roubei daqui:
----------------------------------------------------------------------------


[Mente Hiperativa]

18 setembro 2010

Psicose - perda de contato com a realidade

Ela cortava os pulsos
Se furava com agulhas
Facas e garfos
Certo dia até engoliu anzóis
E foi parar num hospital
Ela não era suicída
Pois não queria se matar
E não se achava louca
Apenas sentia necessidade
De enxergar o próprio sangue
Jorrando, vermelho
Pra poder TER CERTEZA
De que era real e estava viva
De que não era tudo uma alucinação
A maioria das pessoas não precisa fazer isso
Mas a maioria das pessoas não é psicótica

[Mente Hiperativa]

Invente seu bebê!

Os pais inventam o seu bebê.

Isso mesmo, o bebê vem ao mundo sem saber de nada, sem pensar, sem ter iniciativas, os pais é que iniciam essa construção do bebê, do seu caráter, do seu comportamento. Essa pequena criatura apenas reage -inicialmente- da forma que seus pais lhe ensinam, somente depois é que ele vai poder se inventar por si mesmo.

Sendo assim, pais frios e distantes, que não investem em sua cria podem criar bebês semelhantes a eles, ou seja, vazios, destituídos de interesse em interagir com outras pessoas. Pais que mimam os filhos, criam egoístazinhos, que não reconhecem o altruísmo, que se acostumam a serem reis cercados de súditos. E pais que não deixam o filho chorar, que dão tudo antes que ele sonhe em pedir acabam criando ansiosos e imediatistas, que não sentem necessidade de se comunicar com o mundo pois têm tudo na mão na hora que querem.

E então, qual o projeto de filho que você está criando? Melhor tomar uma atitude enquanto você ainda pode orientar a formação do seu bebê, logo logo ele mesmo vai se guiar pela sua personalidade e experiências com o mundo que o cerca.
Depois não reclame da sua criação!
[Mente Hiperativa]

17 setembro 2010

(NÃO) viaje de avião


Pegou o avião com pressa
Não queria
Quase se atrasou
Quase perdeu o voo
De propósito
Mas não conseguiu
Estava voando
Cruzou o oceano, imenso

Azul, brilhante

Teve medo de cair
"Ah, mas as poltronas são flutuáveis"
Alguém lhe disse
Tentando EM VÃO, lhe confortar
Que alívio então, isso me conforta
(Ele era mesmo muito irônico)
Será que tubarões comem poltronas flutuáveis?

-Pensou alto-
Espero que não...
Não!

Tubarões não comem poltronas flutuáveis
Tubarões comem GENTE
Teve m
edo
Me-do
Medo²
(Medo ao quadrado)

Achou melhor não viajar de avião
(NÃO) viaje de avião
Ele aconselha
NÃO viaje de avião
Sem parênteses mesmo
Mas ele já estava lá dentro, viajando

E agora?
E agora José?
A festa acabou
A luz apagou
O povo sumiu
A noite esfriou
E agora José?
E agora, você?

Ele nem pensou muito
E s
e jogou do avião
Não aguentou a pressão

Caiu

No mar!!!

[Mente Hiperativa]

Pandora às avessas

Nos escombros da casa mal assombrada achei uma caixa chamada CRANIANA. Nela continha o aviso:
CUIDADO! EIS AQUI TODOS OS MISTÉRIOS DO MUNDO!
Posteriormente a leitura, pus-me a pensar o quão interessante seria desvendá-los e sem exitar, num surto de curiosa magia, abri a caixa e suspirei ao tocar o objeto iluminado. Se tratava da lâmpada das mais fabulosas artimanhas da mente, capaz de mirabolar incríveis saltos de liberdade. Com isso, tocou-me à consciência a luz que guiaria meus passos futuros, me deslocando do vagante para o questionador, e dali em diante não caminharia sem rumo... achei meu destino abraçando o inusitado, o "invisível" e tornei-me, iniciante, membro da Comunidade Mitológica de Pandora. A caixa sagrada, negada e, aos olhos dos que TEMEM, mal assombrada se revelou em verdade para tornar o meu mundo melhor e mais fácil.
EIS-ME AQUI, COM TODOS OS MISTÉRIOS DO MUNDO.

Isa Villares.

-------------------------------------
Roubei daqui:
----------------------------------------------
[Mente Hiperativa]

16 setembro 2010

Gnus

A aula estava chata
MUITO chata
Até mesmo meus espermatozóides
Pobre zóides
Estavam achando um saco
Muitos se suicidaram durante a aula
Cortanto a própria cabeça
Zóide tem cabeça?
Os meus têm
Eu esperava uma bomba atômica cair naquela sala
Será que ia demorar muito?
Tô com pressa
Vamos lá Coréia do Norte
Apressa isso aí
Acho que não vai cair bomba alguma
Que droga
Mas tudo bem
Meu celular não tem câmera mesmo
De que adiantaria ver a bomba atômica explodindo
Se não poderia registrar pra colocar no youtube depois?
Preciso comprar um celular melhor
=D
Mas a aula continua terrível
E piorando
Cada segundo eu entendo menos
Esse professor tem um incrível poder
Poder de DESconstruir tudo o que eu sei
Queria que a sala fosse invadida por uma manada de gnus
Cegos e burros
Qual o papel dos gnus na natureza?
Além de atravessar um rio e morrer?
O que mais eles fazem?
Que tal se construíssem uma ponte?
Ah não dá
Eles são burros
E cegos
Havia me esquecido
Gnus só servem pra cruzarem a África e morrerem aos milhares
Talvez milhões
Quem se importa com esses números?!
Ah, e os gnus ainda colocaram o Simba numa cilada enorme
Nunca esqueço isso
Sou ressentido com gnus desde esse dia
MAAAAAS
Como sou muito bonzinho
Até seria capaz de perdoá-los se eles cruzassem a minha sala de aula agora
E pisoteássem o professor
Que também é cego e burro
Tal qual um gnu
Seria apenas um pequeno desvio da rota
Da África até aqui na minha sala
Já sei porque eles não vêm
O professor é um gnu
Só podia ser
Cego e Burro
Talvez tenha fugido do Serengueti
Pra vir dar aula aqui
Com emdo de morrer atacado por um crocodilo
Crocodilos podem atingir 9 metros
Sabia?
Mas na pré-história podiam atingir 20 metros
Talvez seja mais fáil esperar um crocodilo invadir a sala
Diretamente da África
E devorar o professor-gnu
. . .
Deixa
Precisa mais não
A aula acabou
Aleluia irmão!


[Mente Hiperativa]

UMA formiga faz falta?

Uma vez eu estava no pátio do curso pré-vestibular (faz tempo), me divertindo, tentando matar uma formiga na mesa. Minha professora viu e logo gritou: "NÃO faça isso, você depende dela! Vocês estão ligados!!!"

Claro, na hora eu pensei que ela era louca. Por que eu precisaria de uma formiga? Existem tantas que uma a menos não faria falta. Você acha que uma formiga a menos faria falta?

Lembrei-me dessa história porque essa semana eu estava dando plantão voluntário no hospital e fiquei observando a rotina de lá, a rotina de um profissional de saúde. O paciente procura o médico, recebe um diagnóstico. O médico não é Deus, não pode cuidar sozinho do paciente. Este é então encaminhado a uma fonoaudiologista, a uma nutricionista, psicóloga ou terapeuta ocupacional. Ou então fica internado no hospital, aos cuidados das enfermeiras, técnicos e auxiliares.

É tudo uma rede.

E todos estão à serviço ou subordinados ao médico? Claro que não. Estão todos à serviço da saúde do paciente. E o que são esses profissionais senão formiguinhas? Todos estão juntos, trabalhando para o bem-estar do paciente. O médico, e somente ele, pode dar o diagnóstico e encaminhar à terapêutica adequada, mas ele não pode reabilitar os movimentos do paciente, cuidar da sua fala, passar-lhe uma dieta ou cuidar dele durante o pós operatório. Somos SOMENTE uma formiga da colônia, uma parte do todo.

E agora eu retomo a pergunta que fiz inicialmente: será que uma formiga a menos faria falta?

[Mente Hiperativa]

Blogo, logo existo.

Blogo, logo existo.
"... E que fique muito mal explicado. Não faço força para ser entendido. Quem faz sentido é soldado..."

Mário Quintana