#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/

HIPERATIVOS:

#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/


30 novembro 2010

Novidade: MH DESENHOS

Sempre gostei de desenhar, era a forma que eu mais me manifestava quando criança, bem mais do que falando (é... eu já fui muito calado, mas isso faz tempo). Mas eu comecei a me cobrar cada vez mais desenhos perfeitos, sempre achava que estavam feios, jogava tudo fora.

Passei um tempão sem desenhar nada, depois veio o tempo de vestibular que eu não tinha tempo pra respirar, quanto mais desenhar. Depois de tudo isso resolvi voltar a pegar no lápis, mas veio a cobrança pela perfeição que me consumia o juízo, foi quando eu tive a brilhante iniciativa de criar um estilo meu, ao invés de (tentar) copiar com fidelidade o que via ao meu redor no mundo.

Passei a fazer um desenho um pouco mais descomprometido com a realidade, sem formas exatas, sem contornos perfeitamente simétricos, sem preocupação com detalhes excessivos, sombra, profundidade e lógica abusiva. Passei a me cobrar menos perfeição.

Consegui criar um desenho em que o acabamento é dado pela imaginação de cada um, que muitas vezes sugere mais de uma interpretação. Tentei fazê-los coloridos, mas acabei percebendo que a sobriedade do preto combina muito comigo, além do mais permite que cada um dê o seu colorido final, da forma que mais lhe agradar.

Às vezes mostro certos desenhos a alguém e sem dizer nada pergunto o que ela vê, claro que eu pego logo os mais abstratos e interpretativos. É legal ver a cara da pessoa de quem não entende nada e quando eu digo o que se trata ela abre a boca como se um monte de rabiscos tivessem agora tomado uma forma lógica nas suas cabeças.

Bem, vocês não vão precisar fazer tanta força pra entender, coloquei títulos que dizem o que se trata o desenho além de poemas-síntese que devem manter uma relação com a imagem.

Visitem, sigam e comentem:




PS: A primeira postagem será amanhã, dia 1 de dezembro, e o blog será atualizado diariamente com u, um desenho por dia. Já tenho programados 59, ou seja, até o fim de janeiro, e mais uns 40 nos rascunhos aguardando apenas um poema-síntese complementar. Mas não pretendo parar nesses 99 desenhos, quero que o blog 'MH desenhos' me dê mais inspiração pra desenhar, assim como o MH me deu pra escrever. E aí só Deus sabe onde e quando eu paro.



[Mente Hiperativa]

A conquista do Olimpo

Saturno devorando seus filhos - Francisco Goya


Havia diversos Titãs. Ofíon e Eminores dominavam o Olimpo até serem destronados por Saturno e Réia.

Saturno(Cronos, na mitologia Grega) que traz um fim a todas as coisas que tiveram um começodevora a própria prole. Júpiter(Zeus), filho de Cronos, escapou desse destino e quando cresceu, Desposou Métis(Prudência) que ministrou uma medicação e fez Saturno vomitar os filhos de volta.

Júpiter, junto com os irmãos e irmãs, rebelou-se contra Saturno e seus irmão, os Titãs, vencendo-os e aprisionando alguns deles no Tártaro enquanto outros tiveram que pagar algum tipo de penalidade.
Depois que destronou seu pai, Saturno, Júpiter dividiu oa domínios com os irmãos Netuno(Poseidon) e Plutão(Dis). Júpiter ficou com o céu, Netuno com o oceano e Plutão com o reino dos mortos. A terra e o Olimpo eram propriedades comuns.

Júpiter tornou-se rei dos deuses e dos homens, Juno(Hera), sua esposa, rainha dos deuses.


OBS: Trecho retirado do livro "O livro de ouro da mitlogia - Histórias de deuses e heróis", do Thomas Bulfinch.


[Mente Hiperativa]

29 novembro 2010

Meu Brasil Brasileiro

Uma homenagem ao nosso Brasil:



Parece que o Brasil vive o seu melhor momento, líder econômico da América do sul, Política e diplomacia com outros países vai bem, melhoria da qualidade de vida de gente através do bolsa-família, moeda forte, sem crise interna, hospedando os jogos olimpicos e a copa do mundo...

Espero que sejamos mesmo a promessa de proxima potência, que como pais emergente nós possamos crecer ainda mais e não só nos tornarmos mais poderosos, mas também que o nosso povo tenha mais qualidade de vida, que a renda seja Efetivamente distribuida para acabar com essa imensa desigualdade social e econômica que vivenciamos há tanto tempo.



---------------------------------------
Postagens relacionadas

Patriotismo??? - Na copa TODO MUNDO é Brasileiro
---------------------------------------

[Mente Hiperativa]

Beleza?

Beleza existe mesmo?
É gosto, ponto de vista?
Ou é o ângulo certo, o momento certo?

É natural ou fabricada?


----------------------------------------
Postagens sobre beleza:

O que é a beleza?

A beleza de cada um

A beleza, por ela mesma

Maria cacholote - e sua beleza excêntrica (Rafael Sperling)

A beleza peculiar
----------------------------------------

[Mente Hiperativa]

28 novembro 2010

Quando ele vai admitir sua parcela de culpa?

Porque ele nunca tem culpa de nada?
Como ele sempre acha um culpado e uma explicaçao?

E o pior é que ele mesmo acredita nas explicações absurdas que ele dá. Eu me impressiono com isso. E ele não percebe que tudo de errado que ele vê nos outros é um espelho dos erros dele. Ele não enxerga isso, fica tão na cara e ele não vê.

[Mente Hiperativa]

Esperanto???

O congresso nacional quer implantar novas disciplinas no currículo escolar, dentre elas está o Esperanto. Será que vale a pena ensinar uma língua que tem uma abrangência tão pequena e pouca utilização? Quantas pessoas você conhece que falam Esperanto? Quantos jornais, blogs, revistas, sites em Esperanto? Qual emprego exige que a pessoa tenha fluência no Esperanto? Onde se usa essa língua?

Além disso, não seria melhor que o governo melhorasse o ensino das línguas inglesa e espanhola (que é bastante deficiente mesmo em escolas particulares)? Ou talvez ampliasse o currículo ensinando Francês, Alemão... Línguas que podem enriquecer o currículo do estudante, estimulá-lo a buscar um curso fora do país, uma viagem, enfim, conhecer outras culturas e ampliar suas oportunidades.

Além do esperanto outras disciplinas propostas são música, xadrez, astrologia, direitos humanos, educação no trânsito e outras.

[Mente Hiperativa]

27 novembro 2010

Foi um sonho

Sonhei contigo

Tu vinhas me abraçar


Era só um sonho
[Mente Hiperativa]

A identidade secreta de Amanda




Amanda sempre foi uma garota tão quietinha, tão calma que nem mesmo um terremoto seria capaz de tirar sua tranquilidade, não se aborrecia com as brigas dos seus pais, com os insultos dos colegas nem com o trânsito caótico ou as notícias catastróficas do telejornal. Era um poço de serenidade, sempre foi, desde pequena.

Mas havia uma coisa que a tirava do sério, apenas uma única coisa era capaz de irritá-la, a torrada que caía no tapete com a geléia virada pra baixo, sempre que isso acontecia acabava com seu café da manhã, e com seu dia. Vai entender...

Sua aparência sempre foi uma coisa que nunca lhe agradou, ela tentava se esconder atrás dos óculos de armação grossa, prendia os cabelos em rabo de cavalo, um ou dois, parecia sempre que queria esconder alguma coisa. Na verdade ela escondia sua beleza, sufocava sem a menor pena uma Amanda vaidosa e sexy que guardava nos confins da sua mente. Ela sempre teve medo que essa 'outra' Amanda tomasse conta dela, tinha medo de ser atraente e chamar a atenção... Onde já se viu?

O que mais me chama a atenção em Amanda é seu jeito... Ou melhor, sua falta de jeito, ela é um pouco desajeitada, deixa cair tudo no chão, os papéis na sua mão voam, tropeça em pedras imaginárias, perde as coisas. Pra mim esse é seu maior e mais genial disfarce, juntamente com a Aparente incapacidade de matar uma mosca ou abrir a tampa de um pote de maionese.

Toda vez que a vejo tão atrapalhada eu penso "como encena bem, aposto que longe dé nós ela é capaz de matar um leão e abrir uma caixa de chumbo". Sempre fico achando que faz parte do seu plano de defender sua identidade secreta, tal qual fazem os super-heróis do cinema.

Ela é assim espontânea, tímida, não gosta de chamar a atenção, claro, senão descobririam a verdadeira Amanda, a "identidade secreta". Mas eu sempre olho nos seus olhos, mesmo ela tentando desviar, eu sei que ela é mais do que aparenta, e bem menos boba. Um dia descubro sua verdadeira identidade, aquela que ela esconde por trás dos óculos de armação grossa e disfarça entre um tropeço e outro.

[Mente Hiperativa]

26 novembro 2010

Medo de amar


Espiava o amor pela fechadura

Com a cautela de um menino

Que tinha medo de se machucar

[Mente Hiperativa]

Eu choro


Eu choro

As lágrimas escorrem


Lentamente


E eu choro


Porque sei que o tempo não volta

Porque sei que VOCÊ não volta


Deixo as lágrimas caírem


Lentamente

Lavando meu rosto

E levando minhas angústias


Eu choro


Porque te perdi


Mesmo sabendo

Que lágrima alguma mudará isso

[Mente Hiperativa]

25 novembro 2010

O verdadeiro perdão

Estava conversando com um amigo, falávamos sobre o perdão quando ele me disse:
"Quando uma pessoa me faz um mal eu desejo tudo de bom pra ela, mas espero vê-la bem longe de mim, quero que tudo dê certo na vida dela, mas não a quero comigo, não a quero por perto."
Será que isso é o verdadeiro perdão? Será que ele REALMENTE deseja tudo de bom à outra pessoa porque perdoou ela, ou porque tem medo da temida 'lei do retorno'?

O perdão não é algo racional, não vem da cabeça, não é uma decisão que se toma; perdão vem do coração, você vê nos olhos da pessoa o arrependimento e dá a ela uma chance de se redimir, mas isso vem do coração e toca nossa alma.

Perdoar não é dar um tapinha nas costas e dizer: "vá com Deus, siga seu caminho e te desejo tudo de bom", e depois virar as costas esperando nunca mais encontrar aquela pessoa, e ainda ficar falando mal dela. Isso é apenas uma forma de aliviar o próprio peso na consciência, é encobrir o rancor, mascará-lo sob a fantasia de um falso perdão.

Aquele que for capaz de ser traído e mesmo assim manter a pessoa cativa ao se redor, esse sim sabe o que é o verdadeiro perdão. Não é fácil, claro; demora, é verdade; é preciso muita maturidade e altruísmo pra conseguir tamanha proeza.

Diante disso eu me perguntei, será que estou VERDADEIRAMENTE perdoando as pessoas que me causam mal? Ou estou fazendo igual a esse meu amigo, apenas enterrando as mágoas e decepções que tive com elas? 'Despachando-as' pra bem longe e desejando a elas 'tudo de bom'?


[Mente Hiperativa]

Pergunta quais são as perguntas...




Sobrevivemos por causa de nossas certezas, mas crescemos por causa de nossas dúvidas. Porque é quando você não sabe o que fazer ou dizer, que você procura a melhor opção.

Sempre há opções.

---------------------------------------------
Copiei daqui:
http://ericksonianamente.blogspot.com/2010/11/pergunta-quais-sao-as-perguntas.html
---------------------------------------------

[MenteHiperativa]

24 novembro 2010

O prazer do pecado


"O gostoso do pecado é poder saboreá-lo diversas vezes."

Maxwell

.
.
.
.
.


Depende de qual pecado você está falando né...

[Mente Hiperativa]

Revirando emoções profundas


Seu pai não participou de sua criação em momento algum, quando tinha 8 anos sua mãe mudou-se para outro estado a fim de tentar a vida e buscar um bom trabalho, deixou sua pequena filha sob os cuidados da vó e do tio. A menina cresceu, e parece ter aceitado bem toda a situação, cresceu sem rancor, sem questionar a conduta dos pais, sem duvidar do amor deles.

Pelo menos era isso que ela transparecia.


O seu pai sempre soube onde a filha morava (e era bem pertinho) mas jamais teve interesse em procurá-la; a mãe conseguiu arrumar um emprego e permaneceu no outro estado, longe da filha. Nesse contexto ela foi criada, com muito amor, pelo tio e pela vó.

Um dia nossa protagonista resolveu fazer análise, não buscou o analista motivada a entender a sua relação com seus pais (pois parecia não enxergar nada de errado nisso), mas sim a relação com seu filho, foi por conta DELE que ela resolveu buscar ajuda. Na primeira consulta chegou muito tranquila ao consultório, achando que trataria apenas da relação dela com o filho, enganou-se, o analista de imediato tratou de vasculhar a relação dela com os pais, sem perguntar nada sobre seu filho ainda.

Logo na primeira consulta ela descobriu que não seria nada fácil revirar assuntos os quais estavam muito bem escondidos em sua mente e aparentemente bem resolvidos, mas na realidade nem tão resolvidos assim.

O psicanalista lhe fez algumas simples indagações:
- Lembra de algum momento em que seus pais ainda estavam juntos?

- Não.

- Lembra-se de fatos cotidianos de sua infância? Quem a levava ao colégio, por exemplo?

- Caramba... Não lembro disso.

- Como eram as festas de natal quando você era criança?

(Silêncio, enquanto balança a cabeça negativamente.)

- Você não quer recordar essas lembranças, pois foge desse conflito, desse questionamento.

- Tá me chamando de mentirosa? Tá querendo dizer que eu lembro e não quero falar?

- Não, não é nada disso. Você sabe de cada detalhe de sua infância, mas INCONSCIENTEMENTE guarda essas informações num local inacessível. Faz isso sem saber, pra se proteger, pra não sofrer.

Esquecimento, essa foi a arma que aquela criança confusa e inocente utilizou diante de tantos conflitos ocorridos tão precocemente. E assim ela cresceu, esquecendo o que se passou, criou um universo paralelo pra si mesma e nele seus pais não haviam a deixado, ela não fazia questão alguma de questionar o motivo pelo qual agiram assim, pouco importava pra ela. Dessa forma sua mente bloqueou as lembranças e inconscientemente arquivou as informações numa pasta muito bem escondida que ela não fazia a Menor questão de encontrar.

Mas a menina cresceu, hoje é uma mulher e estava fazendo análise pra tentar entender as dificuldades do filho, e as possíveis dificuldades dela como mãe. Pra sua surpresa acabou tendo que resolver questões que protelou durante anos, problemas que talvez tenham respingado na sua relação com seu filho e certamente se refletiram em diversos setores de sua vida.

E agora, o que será que vai acontecer? Revolta tardia? Amadurecimento? Compreenssão? Sofrimento?

Se eu perguntasse ela não saberia me responder, mas parece que apertou bem os cintos, pois sabe que vai mexer com fortes emoções, e não tem idéia do que poderá sair daquele divã cor de vinho.

OBS: História verídica.
[Mente Hiperativa]

23 novembro 2010

O benefício do perdão


"Seus verdadeiros inimigos não são aqueles que lhe odeiam, mas aqueles que você odeia."

É assim, o ódio que os outros guardam de você não é capaz de te atingir a menos que você permita, que você retribua as tapas e entre numa guerra sem vitoriosos.


Mas as pessoas pelas quais você guarda rancor, nutre a raiva, esses sim te fazem mal. Isso sim polui teu coração, te faz mal, te deixa triste, mesquinho, vingativo e rancoroso. Isso sim te bota pra trás, pois ao invés de você estar preocupado em crescer você está preocupado em machucar outras pessoas.

Converta esses sentimentos ruins em sentimentos bons, por mais difícil que possa ser tente perdoar e esquecer os seus inimigos, limpe seu coração e deixe-o livre pra o amor, somente o amor.

[Mente Hiperativa]

Feridas da HIPERMODERNIDADE


Vivemos num tempo em que os relógios não marcam mais...
Em que os dias passam ligeiramente e não voltam atrás.
Época em que não há tempo para comer ou dormir.
Não há tempo para ninguém se divertir.
A violência nos põe medo de sair.
A moda diz que todo mundo tem que fingir...
Que a beleza é a perfeição a qual ninguém pode atingir.

O amor? Este sentimento empobrecido...
Quase ninguém quer amar... Oh, sentimento esquecido.
A juventude desfruta o prazer que julga ser merecido.
Iludindo pobres corpos errantes e sem sentido.

Não há mais tempo a ser dedicado.
Ao outro, por nós, tão desejado.
Espera-se a perfeição de algo outrora idealizado.
Quem se importa em querer cuidar quando melhor é ser cuidado?
Já caminham lá fora aqueles corações reciclados.
Que como lixo à própria sorte foram lançados.

Não se valoriza mais o sorriso da criança.
E é louco quem quer preservar sua infância.
Aquele que ainda precisa ter esperança.
Que o agora poderá se tornar apenas uma triste e vaga lembrança.

É nesse momento de tristeza.
Que a dor se torna em certeza.
Fomos esmagados por nós mesmos!
Numa tentativa de alcançar.
Aquela felicidade egoísta, sadomasoquista...
Agora estamos perdidos e sem rumo.
Sem saber ao certo como será nosso futuro.
Carregando feridas as velhas sem cura.
Por este caminho tão perverso e obscuro.

Sim, estamos... Tecnologicamente... Mas estamos...
No tempo da incerteza, na época da desventura.
Onde ser errado é ser certo.
E o certo desfila por aí encapuzado de preto.
Escondido com medo de ser pego.
Pelas leis que enfeitam os papéis.
E pelas palavras que fogem porque já perderam o seu valor.
A paisagem se tornou cinzenta... Já manchou a cor.
É a hipermodernidade.
Já sangram o desespero e a dor...

Bruniele Souza

[Mente Hiperativa]

22 novembro 2010

Preciso de um amplificador cardíaco

"Escute seu coração", as pessoas me dizem, com uma voz suave e reflexiva.
Mas coração fala? Queria que o meu gritasse bem alto: "NÃÃÃÃO. Não vá por aí que é cilada" ou então "Siga por aqui que dá certo, vá sem medo."


Mas não, ele insiste em cochichar baixinho, tão baixinho que nem eu escuto direito. E eu insisto em escutar tudo distorcido.

[Mente Hiperativa]

Alcoolismo


Essa mágoa


no copo repetido

bebe a pessoa


S B Souza


[Mente Hiperativa]

21 novembro 2010

"Aquele" olhar


"As mais belas palavras de amor são ditas no silêncio de um olhar."

Leonardo daVinci


[Mente Hiperativa]

Altruísmo ou interesse?

"As plantas são tão boas que suportam dezenas de lagartas lhe comendo as folhas só pra mais tarde serem visitadas por belíssimas borboletas."
Li isso em algum lugar e achei bonito, interessante saber da 'bondade' das plantas. Mas me desculpe, eu preciso fazer algumas perguntas, meu poder crítico não me deixa permanecer muito tempo calado:

Será mesmo que é bondade, ou pelo menos bondade pura destituida de qualquer interesse?
Será que a planta não está esperando nada em troca desse sacrifício?
A planta suporta tal agressão somente pra nutrir as lagartas?
Ou porque depois ela se beneficiará das mesmas para sua polinização?


E se colocássemos no lugar das lagartas e plantas as pessoas?
Será que elas agem sempre de boa vontade ou no seu íntimo estão enxergando oportunidades no futuro? Isso é maldoso?


[Mente Hiperativa]

O arroz, Roberto Carlos, a diabete e o TOC


Descobriram que o arroz branco pode contribuir para o surgimento da diabete tipo II, recomendaram então o uso do arroz marrom (integral).

Roberto Carlos logo se manifestou, disse que só come arroz branco. Ou azul-marinho.

É o TOC, é o TOC, é o TOC...

[Mente Hiperativa]

20 novembro 2010

O amor é cego. E também bobo, surdo, burro...


Que o amor é cego todo mundo já ouviu dizer... Mas eu me sinto na obrigação de alertar de que ele nos deixa bobos, ridículos e sem noção. Às vezes além de cego ele é também surdo, pois não escuta ninguém, e ainda pode ser burro, insistindo em fazer algo que jamais você faria se não estivesse amando. Apesar disso e de muitas outras coisas que em nome do amor eu não vou contar aqui, ninguém deixa de querer amar por isso. Estranho né?

[Mente Hiperativa]

Entre o oito e o oitenta


Ou é oito ou é oitenta, ou é alto ou é baixo, ou é escuro ou é claro, ou é bonito ou é feio. Assim que aprendemos desde a infância, na escola conhecemos o áspero e o liso, o frio e o quente, o duro e o mole, e carregamos pra o resto da vida esse "estigma da dualidade".

Crescemos pensando que podemos classificar as coisas e as pessoas, aliás, crescemos já classificando-as, como se separássemos miçangas coloridas, colocando-as em caixinhas.
"Se for azul clara boto nessa; se for azul escura, naquela."
"Se for pequena fica aqui, as grandes lá."
E quantos tons de azul existe entre o azul claro e o escuro? E aquele azul meio esverdeado, é azul ou é verde? E onde ficam as miçangas médias? Ficou mais difícil né...


A mesma coisa acontece ao classificar as pessoas, e até mesmo as coisas, ninguém se encaixa perfeitamente num protótipo, se você for separar as pessoas em caixinhas nunca haverá duas na mesma caixa, na mesma classificação. Cada um é cada um, e protótipos são protótipos, eles não existem sob a forma humana, somente nos papéis e nos projetos de experimentos científicos.

Na infância aprendemos que tudo é polarizado em dois extremos, mas na verdade o mundo não é assim, já foi, no tempo da guerra fria... Ali sim era polarizado. O mundo é mais do que dois extremos de uma classificação, nem tudo é exato, cartesiano, nem tudo é passível de uma classificação.

Sendo assim, entre o gordo e o magro existe uma enorme gradação, e diversas pessoas estão nesse meio, mais para um lado ou mais para o outro, mas não precisam estar numa das pontas. Entre um extremo e outro há um espectro, espectro esse bastante rico de possibilidades que não permite que sejamos classificados como loucos ou normais, inteligentes ou burros, feios ou bonitos; estamos sempre em algum lugar nesse imenso espectro, entre o oito e o oitenta.


[Mente Hiperativa]

Este é o meu nome



Mais uma música pra animar a sexta-feira, em especial pra aqueles Otávios que pensam que techno não é música, é barulho e não tem letra nem conteúdo algum.

Obs: Não consegui colocar o vídeo original sem legenda, o youtube não permitiu, mas pra quem preferir acessa esse:


http://www.youtube.com/watch?v=oASZG96v0Rk



Este É o Meu Nome - Akcent

O tempo todo eu pensei em você
Eu vi seus olhos e eles estavam tão azuis
Pude ler há apenas um nome
Meu nome, meu nome, meu nome
Por causa de você eu estou voando mais alto
Você me dá amor, você incendiada
Você me mantém aquecido quando você chamar meu nome
Esse é o meu nome, esse é o meu nome, esse é meu nome

(E você é o que acende o fogo
Eu sou aquele que te leva mais alto
Eu perco minha voz quando você diz meu nome
Esse é o meu nome, esse é o meu nome, esse é o meu nome)

E você é o que acende o fogo
Eu sou aquele que te leva mais alto
Eu perco minha voz quando você diz meu nome
Esse é o meu nome, esse é o meu nome, esse é meu nome

(É o meu nome, ele é o meu nome, é o meu nome ...) 2x

E você
Você vai ficar no meu coração
Como eu sabia desde o início
E você
Você vai ficar no meu coração
Nunca mantê-lo distante

E você
Você vai ficar no meu coração
Como eu sabia desde o início
E você
Você vai ficar no meu coração
Nunca mantê-lo distante

[Mente Hiperativa]

19 novembro 2010

Jabuticaba


Jabuticaba

Jabuti acaba

Jabuticabada

Já buti a caba

Jabu tia caba

Jajá butia acaba

Já buti acabada

Ahhhhhhh

Aqueles olhos de jabuticaba...


Jamais esquecerei


[Mente Hiperativa]

Velhice, uma fase em extinção

Hoje em dia não existem mais pessoas velhas!

Antigamente IDOSO era sinônimo de velho, era um termo usado pra denominar aquelas pessoas frágeis e extremamente dependentes, que usavam dentadura e passavam o dia numa cadeira de balanço, eram muito esquecidas e -parafraseando Raulzito- ficavam com a boca aberta cheia de dentes esperando a morte chegar.

Hoje as coisas estão bem diferentes, podemos ver nossos idosos (e não velhos) correndo no calçadão da praia, usando a internet, em bares bebendo e conversando, fazendo musculação, ginástica, trabalhando, dirigindo...

Então COMO poderíamos continuar a chamá-los de velhos???

Antigamente, no tempo da minha bisavó, o idoso era velho, aos 50 ou 60 anos já estava ficando "gagá", esquececido, não andava direito e precisava de ajuda até pra ir ao banheiro. Mas isso é coisa do passado, coisa difícil de se ver, a terceira idade não é mais o fim da vida, cada dia mais atingimos até a quarta idade. E que isso seja cada vez mais comum, longevidade aliada à qualidade de vida.

Por isso hoje podemos dizer..... Idoso sim, velho jamais!

[Mente Hiperativa]

18 novembro 2010

Mulher moderna

Pablo Picasso

Estava no sofá a ler um livro

Depois de um dia cansativo

Trabalho, marido, casa e filho


[Mente Hiperativa]

Qual o seu tipo de amor?


O amor é lindo, mesmo o amor falso dos filmes ou dos clichês nos comerciais da tevê. Mesmo sendo fantasioso. Platônico. Fulgás. O amor é lindo quando imbatível. Impossível. Improvável. O amor dos poemas, é poesia. Dos livros, romance. Mas o amor pode ser fruto proibido. Obsessivo. Imposto. Mas lindo quando verdadeiro. O amor das músicas, é trilha sonora. E ele pode ser tempestuoso. Antigo. Míope. É lindo, o amor, mesmo doente. Fictício. Sobrevivente. O amor pode ser incondicional. Sábio. Moderno. De carnaval. De verão. O amor é Romeu & Julieta. Pode ser lindo e convalescente. Relevante. Inatingivel. Ilícito. Inexato. Mas quando é amor, é lindo!


(by, franck)

-------------------------------------------------------------------------
Colei daqui:
http://francksantos.blogspot.com/2010/11/qual-o-seu-tipo-de-amor.html
-------------------------------------------------------------------------


[MenteHiperativa]

Amei


Eu te amei

Te amei e depois não amei mais ninguém


Meu amor por ti pode ter mudado, talvez


Ou talvez tenha permanecido igual


Apenas te esperando voltar pra mim


Posso não ter amado mais ninguém além de ti


Mas pelo menos posso dizer


Que um dia eu amei alguém nessa vida

Com toda certeza, VOCÊ

[Mente Hiperativa]

Os opostos se atraem. Mas se completam?


Ela, que era tímida, se sentiu atraída pelo jeito comunicativo dele.


Ele, que se achava feio, se encantou com a beleza e formosura dela.




Algum tempo depois...




Ela já não aguentava mais vê-lo conversando com todas as meninas, dando atenção a todo mundo e não somente a ela.


Ele enjoou daquela beleza toda, acabou não encontrando o conteúdo que procurava por trás daquele rostinho perfeito.



Os opostos se atraem, DIZEM, mas será que se completam?
Será que nos acostumamos com uma pessoa que pensa e age tão diferente de nós?
Ou será que é apenas um encantamento, uma atração descabida?


[Mente Hipearativa]

17 novembro 2010

Vizinhança

Assisti a um filme em que uma guria de 8 anos foi adotada e a menina era o terror. A mãe adotivo colocou três trancas na porta, encostou a cômoda e a cama pra ela não ter como entrar. Mas a guria arrumou um machado (não me pergunte onde, por que aqui em casa no máximo ela encontraria um martelo e olhe lá...) e com o machado ela derrubou a porta.

Eu achei interessante a vizinhança dessa família, por que aqui na minha casa se eu usar a furadeira à noite pra furar a parede em 5minutos já tem vizinho aqui na minha porta reclamando, síndico interfonando... E lá a menina derruba a porta com um machado, a mãe berra DESESPERADAMENTE e ninguém nem aí.

Pelo menos eu sei que ninguém vai conseguir derrubar minha porta sem ser percebido... Difícil vai ser encontrar um machado por aqui.


[Mente Hiperativa]

Vazio

Você foi embora

Me deixou esse vazio

Que carrego até hoje


[Mente Hiperativa]

16 novembro 2010

Faltou ar!

Tentou respirar

E não conseguiu

Tirou da boca

Palavras que não costumava usar


Gritou

Sem conseguir respirar


Sofria

Mas permanecia ali

Queria ficar ali

Sofria

Mas sentia um estranho prazer

Travou uma inesperada guerra


Sacou sua arma


E enfiou na sua vítima


Pobre vítima


E algoz


Maldito algoz


Matou-o


De prazer


E guardou a arma


Disse coisas que não se dizem


E agradeceu!


Fumou um cigarro


Foram embora


Calados


Respirava bem


Agora



[Mente Hiperativa]

15 novembro 2010

Vamos tomar um cafezinho?

Ando com tanta saudade de ti

Quando terás um tempinho pra mim?

Vamos tomar um cafezinho?


Sentar e conversar um pouco


Parar os relógios


Quebrá-los com um martelo


E esquecê-los


Só por uns instantes


Quero você de novo junto de mim


Como era antes


Quando você pode?


Vamos tomar um cafezinho?


[Mente Hiperativa]

Só carícia


Um dia talvez

conheça a malícia


dessa timidez.


S B Souza

[Mente Hiperativa]

14 novembro 2010

Beija sapo

E ela beijou o sapo, beijou, noivou e casou com ele na esperança de que o mesmo se torna-se um belo e gentil príncipe. Tadinha... Sapos não viram príncipes, exceto nas fábulas encantadas, e isso aqui é vida real, não tem nada de encantado.

[Mente Hiperativa]

Amigo é pra essas coisas

Amigo é pra essas coisas...

É pra rir, se divertir, dar risadas.

É pra chorar, acolher, amparar, consolar.



Amigo é pra 'puxar as orelhas', orientar, aconselhar.

É pra mostrar a verdade que às vezes teimamos em não enxergar.



Amigo é pra nos dar apoio em nossos sonhos.

É pra nos ajudar a construí-los e torná-los uma realidade sólida.



Amigo é aquele que compartilha.

Compartilha a dor, o sofrimento, a felicidade, as bênçãos.



Amigo vive conosco a nossa realidade, enfim, está sempre junto de nós.

E não importa se temos algo a oferecê-lo ou não, ele não liga pra isso, é nosso amigo!


[Mente Hiperativa]

13 novembro 2010

NOVIDADE


Pra quem ainda não percebeu ou não domina esse recurso, o blogspot há um tempo disponibiliza a nós páginas pra que possamos organizar melhor o conteúdo adicional do blog e não poluir tanto a página inicial.

A primeira página que acrescentei foi "CONTATO", com meu endereço de email, caso alguem queira comentar, conversar, reclamar... Fique à vontade.


Depois eu fiz a página "Recordar é viver", onde coloco os links dos posts passados que publico semanalmente na coluna à direita.


E agora, mais recentemente, acrescentei a página "Programação do mês", para os curiosos que quiserem saber o que vem por aí, nela eu adianto o título dos textos que estão programados para o mês.

[Mente Hiperativa]

GREVE, GREVE, GREVE

Li uma frase bem interessante essa semana, "O único poder que um trabalhador tem é parar de trabalhar", essa frase (Genial) foi atribuída a Karl Marx e mostra que o trabalhador só tem poder, voz, se estiver unido, e se unido lutar por uma causa justa. Perfeito, é isso aí.

Muita gente critica e olha com maus olhos os 'rebeldes' que fazem greve, mas eles não são rebeldes, a questão é que às vezes não há outra forma de negociar melhores condições de trabalho a não ser mostrando seu poder. Quem já tentou resolver tudo na base da conversa sabe bem que nem sempre isso cola, a teoria é bonita: "Tudo se resolve na base da conversa", mas a realidade é bem mais cruel.

Por essas e por outras que muitas vezes eu sou a favor da greve, quando ela tem um embasamento bem argumentado. Greve é luta, não é gaiatice de adolescente!

[Mente Hiperativa]

O amor segundo Fernando Pessoa

"Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é, Mas porque a amo, e amo-a por isso, Porque quem ama nunca sabe o que ama Nem sabe por que ama, nem o que é amar… Amar é a eterna inocência, E a única inocência não pensar"

Alberto Caeiro

[Mente Hiperativa]

12 novembro 2010

Onde estão os cavalheiros?

Cavalheiros são aqueles caras que puxam o banco pra namorada sentar, abrem a porta do carro pra ela sair, pagam a conta, mandam flores e não deixam sua amada carregar peso algum. Onde estão eles, os cavalheiros?

Bem, os tempos mudaram, parece que nada mais é o mesmo, hoje as mulheres dividem a conta, carregam o peso e sentam-se por conta própria. As mulheres também trabalham, saem à noite pra balada, sozinhas, falam o que pensam e fazem sexo como querem. Como poderiam agir assim se fossem tratadas daquela maneira, como bibelôs prestes a se partirem em mil pedaços?

Talvez não tenha sido os cavalheiros que sumiram, mas sim as damas, e à medida em que elas se tornaram mais 'feministas', nós nos tornamos mais receosos em afrontá-las, questioná-las acerca de suas capacidades ou potencialidades. E se não há damas, não há cavalheiros.

Então onde estão os cavalheiros? Lá no passado, junto com as damas de antigamente, frágeis e indefesas, que precisavam da nossa proteção e cuidado.

Hoje temos mulheres fortes e independentes que fazem questão de mostrar que são capazes de carregar peso e têm dinheiro pra dividir a conta do restaurante, elas querem mostrar que podem tanto quanto nós homens, ou seja, deixaram de ser frágeis e necessitadas dos nossos cuidados de cavalheiros.

Algumas mulheres levam tão a sério essa história que pode ser até um insulto pedir-lhes pra ajudar em alguma determinada tarefa 'masculina', você corre o risco de ouvir: "Tá pensando que eu não consigo é? Tá querendo dizer que eu não posso, que sou inferior a você?"

É difícil... Difícil saber a hora em que você pode ser cavalheiro e a hora em que você tem que deixar ela provar (a quem?) que é tão capaz quanto um homem. Entender as mulheres não é fácil, mas é preciso descobrir a hora em que ela quer receber flores e a hora que ela quer ir dirigindo, porque ela é frágil, mas também é forte. Entendeu? Eu também não entendo.


[Mente Hiperativa]

11 novembro 2010

Medo de ir ao médico?


Essa semana fui ao médico, estava no banheiro quando um senhor comenta comigo: "O tal do hospital é todo bonito, tudo limpo e organizado, mas é o lugar que ninguém gosta de vir né."

Ele nem sabia que tava falando com um futuro médico, como eu poderia concordar com o que ele dizia? Na verdade eu até sou suspeito pra dizer, eu GOSTO de ir ao médico. Ainda digo mais, se eu for ao médico com uma queixa e ele disser que não é nada, eu vou a outro na mesma hora.

Já cheguei a pensar que eu pudesse talvez quem sabe ser um pouco, um pouquinho, hipocondríaco, mas não é o caso, é que eu gosto de ser bem atendido, gosto que o médico pegue em mim, me examine, olhe nos meus olhos, pergunte, faça exames complementares. Se ele fizer isso e disser que não é nada aí sim eu confio e saio satisfeito. Mas se ele nem olha pra minha cara, desdenha das minhas queixas e diz que não tenho nada, como posso acreditar? Por isso procuro outro, depois de um tempo eu entendi que não se trata de hipocondria...

Mas voltando à pergunta daquele simpático senhor, pensei então porque as pessoas têm tanto medo de ir ao médico. Não vejo motivo pra ter medo (ok, eu sei que eu sou Duplamente suspeito pra dizer...). Talvez as pessoas associem o médico à doença, e a doença à morte, mas não tem nada a ver, há doenças que matam e há doenças que fazem viver! Diversas pessoas tiraram força de onde não tinham pra tratar um câncer, aprenderam a lutar e depois disso passaram até a dar mais valor à vida. Não faço apologia ao câncer, claro que não, mas quero dizer que a doença pode ser boa, por mais incrível e contraditório que pareça. É a chance de você fazer as coisas diferentes e enxergar a vida mais bonita após tamanha superação.

Por outro lado, há tantas pessoas que não têm doença alguma e de repente... PÁ, caiu, morreu, assim, de repente, fulminante. Minha vó tinha apenas 66 anos e colesterol controlado por remédios, nenhum problema de saúde mais. Morreu dormindo, de um dia pra o outro, assim, sem mais nem menos.

Então pra terminar eu acho que ir ao médico deveria ser gostoso, é a promoção de saúde, a garantia de uma melhor qualidade de vida, E NÃO O CONTRÁRIO, como muitas vezes parece. O papel do médico é sanar a dor e a moléstia, ele não vai matar você não.

Vejo o sofrimento e as dificuldades de pessoas que acessam o sistema público de saúde, que chegam no hospital às 4hs da manhã pra pegar uma ficha e serem atendidas às 8hs, esperam horas no sol, muitas vezes vêm de ambulância de cidades interioranas que não dispõem de um hospital, outras vezes têm dificuldade de locomoção, precisam de cadeira de rodas ou mesmo uma maca mas não há nada disso.

Vejo isso tudo eu me pergunto, como pode alguém desdenhar de todo o conforto e comodidade de um hospital particular e ainda ter medo de ir lá? Pessoas que têm condições de ir a um hospital com chão de mármore, água gelada, cafézinho, poltronas confortáveis, que têm plano de saúde e se recusam a ir ao médico. Não compreendo o que se passa em suas cabeças.

Não tenha medo de ir ao médico. Ao contrário, tenha prazer, de saber que não tem nada grave, prazer de saber que está sendo tratado, prazer em saber que sua saúde está bem guardada, em boas mãos. E a morte, ah, ela virá buscar a todos nós, ela não tem compromisso com a doença e nem vai buscar ninguém na sala de consulta médica, garanto!

[Mente Hiperativa]

10 novembro 2010

Fórmula 1


Porque não existem mulheres pilotando na fórmula 1???

[Mente Hiperativa]

Alguém me empresta um sentimento?

Raiva, ódio, amor, tristeza, compaixão, desespero, afeto, alegria, carinho, medo...

Não sei o que são essas coisas, não sinto isso, sou psicopata, não consigo fugir disso! Mas eu sei jogar com as pessoas, sei despertar NELAS esses sentimentos todos, sei provocar, manipular, isso eu sei fazer muito bem. Não me condene, é assim que me sinto preenchido de sentimentos, vendo-os se manifestarem nos outros por minha causa. Isso me preenche, projeto-me nos outros pra sentir-me menos vazio.

Sou psicopata, alguém me empresta um sentimento?

[Mente Hiperativa]

O louco é ELE; EU sou normal!


Como? Louco? Eu?!

A cidade o aceitava nas suas loucuras. Riem com suas aventuras épicas.
Bravatas? Mentiras! Verdades! Louco?!
A figura excêntrica acalma a consciência da população.
Afinal: "A loucura é só dele; pensam todos ali."

Ana Marly Oliviera Jacobino

AAAAAAAAAAAAAAAAHHHH isso explica tudo! POR ISSO que as pessoas gostam e admiram tanto o "amigo doido", ele faz com que as pessoas se sintam naquela ilusória condição, como é mesmo o nome? "Normalidade."


[Mente Hiperativa]

09 novembro 2010

Legalize JÁ

Vamos legalizar

O cumprimento ao porteiro do prédio
O abraço ao colega de trabalho
O cumprimento ao motorista do ônibus ou taxi

Vamos legalizar

O fim do silêncio no elevador
As visitas àquela tia-avó esquecida
A gorjeta à quem presta um bom serviço

Vamos legalizar

O bom e velho 'obrigado'
A gentileza gratuita
A educação, o respeito

Vamos legalizar

A boa direção no trânsito
A cidadania com os idosos
O auxílio aos deficientes

Vamos legalizar

A valorização de cada profissional
A tolerância entre os diferentes
A paciência com as crianças

Não espere aprovação do congresso, legalize JÁ

[Mente Hiperativa]

Sentimos dentro de nós um desejo incontrolável, inexplicável, incontido numa ânsia de vingança. Mas, de quem? Sentimos que uma fúria abissal nos consome desde sempre, nos queima por dentro, rosna latejando na nossa pele. Mas, por que? Sentimos nojo, nos causa repulsa ver e conviver com a vida. Não conseguimos ser indiferentes, desdenhar simplesmente. Mas, o quê? Tentamos fugir dessa prisão sem paredes, desse turbilhão de pensamentos, que nos arrasta rumo ao desconhecido. Mas, pra onde?

Assim vamos procurando em vão enganar a nós mesmos, criando um mundo ideal, um espaço no qual sejamos nós, apenas. O inominável nos angustia, penetrando por entre os poros dessa nossa pele tosca, por esses ossos carcomidos pelo tempo inexorável do viver, nada mais do que uma constante subtração, escorrendo, ecoando, pelos labirintos sombrios do nosso ser.

Não precisamos de perguntas, não importam as respostas, pois já não pertencemos a este mundo. Somos você e eu um mesmo ser, compartilhando o tudo e nada, absortos por esta vida, que nos suga cada vez mais até o fim.


Texto: Wellington R. Fiorucci


-----------------------------------------------------------------
Roubei daqui: http://depressaoebipolaridade.blogspot.com/2010/10/so.html
-----------------------------------------------------------------


[Mente Hiperativa]

08 novembro 2010

A linguagem dos tímidos

Os tímidos têm uma linguagem secreta, não se comunicam como nós, através da fala, mas por meio de uma série de gestos e olhares codificados. Você pode pensar que ele não está dizendo nada, mas na verdade ele lhe bombardeia de informações o tempo todo, só que do jeito dele, da maneira que ele sabe fazer. Quem souber observar e decifrar tal código saberá o que eles querem dizer. É um treino.

Tal qual os tímidos, as crianças em sua maioria também desfrutam dessa linguagem secreta, sobretudo quando estão diante de pessoas desconhecidas ou que têm pouca intimidade, ficam tímidas. Por isso, segundo minha professora e pediatra, os tímidos sempre acabam sendo os melhores pediatras pois têm o dom natural de compreender as crianças, sabem como deixá-las à vontade e entendem o que elas sentem e dizem com seu jogo de olhares. Os tímidos conseguem como ninguém codificar as atitudes infantis e responder-lhes seguindo o mesmo padrão de linguagem.

Sendo assim quando você se deparar com uma pessoa tímida, ou uma criança envergonhada, não pense que ela está calada e fechada pra o mundo, ao contrário, ela se comunica sim, da sua maneira. Tente desvendá-la.

[Mente Hiperativa]

Blogo, logo existo.

Blogo, logo existo.
"... E que fique muito mal explicado. Não faço força para ser entendido. Quem faz sentido é soldado..."

Mário Quintana