#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/

HIPERATIVOS:

#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/


27 outubro 2009

O fio da navalha

É louca uma pessoa que renuncia a rotina para encarar uma vida incerta e atribulada?
E se ela se diverte e se excita numa situação de perigo?

Tem gente que acha isso, mas eu penso o contrário, pra mim louco é quem quer dominar e ter o controle de tudo nas mãos, louco é quem tem medo do perigo e não ousa sair da situação na qual está.
Cheguei a essas conclusões graças a uma amiga chamada Elis que vive a me chamar de psicopata, por que na visão dela eu sou louco e me exponho ao perigo, costumo dar uns vôos rasantes...

Minha percepção é simples e clara, a vida muitas vezes já é tão chata e monótona, então precisamos fazer alguma coisa pra dar um pouco de emoção a ela, só isso. Acho muito sem graça manter o controle de tudo o tempo todo, primeiro que isso é ilusão, ninguém consegue de fato, segundo que a previsibilidade e o controle tiram toda a excitação e o sufoco, e sem estes não podemos vivenciar alguns sentimentos como a ansiedade e a alegria, não teremos as experiências da conquista e do sofrimento. Todas essas sensações, sejam elas boas ou ruins, serão úteis para nosso amadurecimento e evolução.

Então eu me pergunto, qual é a graça de ter tudo planejado?
Tem até uma história de que o destino já está traçado e blábláblá, mas qual seria a razão de viver uma coisa que já tem começo, meio e fim? Por acaso é uma peça de teatro?

Eu prefiro mesmo é sentir o fio da navalha a ter tudo sob controle. Acredito que a vida é um livro em branco, não isso de destino traçado, quem escreve minha história sou eu, eu encaro o risco, gosto da adrenalina, quero mais é viver e sentir tudo que eu puder, no final das contas eu vou ter algumas história pra contar, e você que vive a previsibilidade?

Por isso eu digo não tenha tanto medo ou vergonha, "viva o dia como se fosse um fruto amadurecido que apodrecerá no dia seguinte", CARPE DIEM!


[Mente Hiperativa]



6 comentários:

elisângela disse...

Vim salvar um patinho das garras desse "psicopata" hj já que fui citada nesse" texto.^^

Chegamos ao sabor das conquistas exatamente por planejarmos alcançar algo. O sofrimento pode até não estar nos nossos planos mas, sem dúvidas, edifica a obra em constante reforma que é o ser humano. Arriscar é muito mais do que apenas se expor ao perigo; implica também em se lançar numa gama de possibilidades onde a pretensão é chegar a vitória (ainda q essa seja a experiência, uma valiosa aliada q nos orienta ao longo da vida, nos faz avaliar se vale a pena tomarmos certas atitudes e nem sempre é reconhecida como recompensa).
Ninguém vive a previsibilidade. Muito menos eu. Nem sei se gostaria. Pq ngm está livre de percalços, e enxergá-los antes de sua vinda seria muito mais amedrontador e quem sabe até gerasse a covardia que nos priva alcançar objetivos e superar obstáculos. Viver nunca será previsível, pois há tantas vidas q se cruzam a cada segundo q até o simples gesto de sorrir pode fazer mudar a nossa história.


"não leve tão a sério quando te chamo de louco...rsrsrs...eu nunca disse q eu tbm não era. " ^^

Mente Hiperativa disse...

Tu acha que eu levo algo a sério? hehehee

Hugo Otávio disse...

"louco é quem tem medo do perigo e não ousa sair da situação na qual está."
Valeu!
Sou louco huauhauhuha
Pelo menos cometo menos besteiras uhauhauhahuaa

Hugo Otávio disse...

Rapaz, eu percebi que o CARPE DIEM não vale muito a pena não pois é nessa que quebramos a cara e muitas vezes não se tem retorno. Eu moldo o CARPE DIEM para CARPE DIEM COM MODERAÇÃO, cabeça feita... Mas cada um viva como quiser... A vida é única, porém para perdê-la, basta pequenas atitudes.

Mente Hiperativa disse...

Se fosse assim eu já tinha perdido a minha há tempo... KKKKKKKKK Será que tenho 7?

Elis disse...

"CARPE DIEM COM MODERAÇÃO" ^^ heuheuehuehue...Gostei dessa. =P

Blogo, logo existo.

Blogo, logo existo.
"... E que fique muito mal explicado. Não faço força para ser entendido. Quem faz sentido é soldado..."

Mário Quintana