#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/

HIPERATIVOS:

#ATENÇÃO#

Novo endereço:
http://mente-hiperativa2.blogspot.com/


15 outubro 2010

MULHER-OBJETO

Estou lendo o livro "Amigos ouvintes", uma compilação de comentários bastante pertinentes do Arnaldo Jabour na rádio CBN. Dentre os vários textos brilhantes encontrei um que achei legal comentar aqui.

A princípio ele comenta sobre a postura submissa que a mulher manteve por tanto tempo, quando era duramente reprimida pelos homens, sem qualquer direito ou opinião, e sua evolução até os dias de hoje, em que pode traçar seu próprio destino e definir suas próprias vontades. A melhor parte vem logo em seguida, uma interessante reflexão que preferi até transcrever literalmente do livro:
"No Brasil a maior conquista da mulher foi na área da liberdade sexual que, muitas vezes, é usada irresponsavelmente. Muitas brasileiras acham que ser livre é poder dançar na boca da garrafa, é namorar um homem por uma semana. Aqui, a sexualidade da mulher ficou livre muito mais por invenção dos anticoncepcionais do que pelas marchas e lutas. Isso é perigoso, pois quando se envolve corpo e sexo, muitas mulheres pensam que são donas do próprio corpo, mas acabam se tornando escravas do desejo dos homens. Pensam que são sujeitos, mas se tornam mulher-objeto, não passam da realização de fantasias masculinas."
Ele é genial. Reflitam!

[Mente Hiperativa]

4 comentários:

Dario Dariurtz disse...

Estou curioso... Parece ser uma boa leitura, vou procura...

Ana SS disse...

Ótimo trecho!
Liberdade para que?
Para se acorrentar em outro lugar?

Paulo D. disse...

Essa visão de "liberdade" que muitas mulheres tem no dia de hoja é totalmente contraditória, pois elas se acham livres e na verdade ser tornam muito mais submissas aos homens pois elas se tornam objetos de diversão.


Muito bom o texto.

Allyne Evellyn disse...

Realmente nós mulheres sofremos muito com os modelos de beleza e nos submetemos muitas vezes sem ao menos refletir sobre!

Blogo, logo existo.

Blogo, logo existo.
"... E que fique muito mal explicado. Não faço força para ser entendido. Quem faz sentido é soldado..."

Mário Quintana